João de Deus tem R$ 50 milhões em dinheiro e imóveis bloqueados pela Justiça

Medida, cumprida nesta quarta-feira (9), foi determinada pelo TJ-GO em dezembro. Segundo MP, objetivo é garantir ressarcimento de vítimas de abusos sexuais. Médium está preso e nega os crimes.

Por Vanessa Martins, G1 GO (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

09/01/2019 17h29  Atualizado há 11 minutos

G1 procurou o MP-GO e a defesa do médium, que não souberam informar exatamente quais imóveis e qual valor em dinheiro foram bloqueados.

O próprio João de Deus já havia declarado, em depoimento à Polícia Civil, ter várias fazendas, casas e carros. Além disso, durante buscas em endereços ligados ao médium, foi encontrado mais de R$ 1,6 milhão em espécie e pedras preciosas.

Investigação

A juíza Rosângela Rodrigues dos Santos aceitou a denúncia contra João de Deus também nesta quarta-feira. O caso envolve quatro vítimas, com relação aos crimes de violação sexual mediante fraude e estupro de vulnerável.

João de Deus, que está preso desde 16 de dezembro no Núcleo de Custódia de Aparecida de Goiâniafoi ouvido nesta quarta-feira em outro caso: por posse ilegal de arma.

A investigação foi aberta pela Polícia Civil após serem encontrados revólveres e pistolas na casa dele durante operações de busca e apreensão.

Mala com dinheiro apreendida em endereço ligado ao médium João de Deus — Foto: Polícia Civil/Divulgação
Mala com dinheiro apreendida em endereço ligado ao médium João de Deus — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Situação atual

  • Juíza aceitou denúncia contra João de Deus e ele se tornou réu por abusos sexuais;
  • Médium foi ouvido pela segunda vez, no dia 9 de janeiro, pela Polícia Civil, desta vez sobre posse ilegal de arma;
  • Após o médium passar mal na prisão no dia 2 de janeiro, o ministro Dias Toffoli pediu novo parecer à PGR, que continuou contrária ao habears corpus.
  • Também depois de precisar de atendimento médico, o presidente do Supremo pediu novas informações sobre o estado de saúde de João de Deus à Justiça de Goiás. Juíza Marli de Fátima Naves diz que não havia necessidade de transferência para hospital;
  • O MP-GO recorreu, no TJ-GO, de decisão que determina prisão domiciliar de João de Deus por posse de arma, em 29 de dezembro; ainda não há nova decisão;
  • Ministério Público Estadual de Goiás denunciou João de Deus por violação sexual mediante fraude e estupro de vulnerável no dia 28 de dezembro.
  • Justiça concedeu prisão domiciliar por posse de armas no dia 27 de dezembro, mas ele segue preso por violaçõa sexual. João de Deus teve habeas corpus negado no TJ-GO e STJ e aguarda decisão do STF;
  • O médium prestou depoimento ao MP-GO no dia 26 de dezembro;
  • Esposa do médium foi ouvida pela Polícia Civil também no dia 26 de dezembro e disse que não sabia de crimes;
  • João de Deus prestou primeiro depoimento para a Polícia Civil quando foi preso, no dia 16 de dezembro;
  • O médium passou a ser investigado após denúncias virem à tona no programa Conversa com Bial. Polícia Civil e MP-GO apuram relatos de estupro, estupro de vulnerável, violação sexual mediante fraude e posse legal de arma;

DENÚNCIAS CONTRA JOÃO DE DEUS


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.