Republicana é eleita Senadora pelo Mississipi após campanha marcada por declaração polêmica

Por G1 (Foto: Jonathan Bachman/Reuters)

 

A republicana Cindy Hyde-Smith foi eleita senadora pelo estado de Mississipi em eleições especiais realizadas nesta terça-feira (27). O pleito determinou a última vaga em aberto no Senado dos Estados Unidos, que teve um terço renovado nas últimas eleições de meio de mandato, no início do mês.

Com a vitória de Cindy, a partir do ano que vem o Senado americano será composto por 53 republicanos e 47 democratas. O presidente republicano Donald Trump ampliou seu apoio no Senado, que antes era composto por 51 republicanos e 49 democratas.

A campanha no Mississipi foi marcada por um comentário polêmico de Cindy, apoiadora de Trump, que remeteu ao passado racista desse estado. Em um vídeo, a republicana aparece agradecendo o apoio de um amigo, dizendo que por ele iria até a um enforcamento público e assistira na primeira fila.

A menção ao enforcamento público foi vista como uma referência ao linchamento de negros. No Mississipi, quase 600 negros foram linchados e enforcados até 1968.

Cindy Hyde-Smith correu risco de não vencer por causa do comentário. Empresas que contribuíram com sua campanha a repudiaram e pediram o dinheiro de volta. Ela pediu desculpas pela declaração.

Mas Cindy acabou derrotando o democrata Mike Espy, ex- deputado e ex-secretário de agricultura dos EUA, que é afrodescendente.

A eleição foi realizada agora no estado porque no pleito do início do mês nenhum dos candidatos obteve 50% dos votos necessários para se eleger.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.