Treinamento Físico para Cardiopatas

Cardiopatas são pessoas que possuem disfunções ou problemas cardíacos. Por exemplo: Doença arterial coronariana, hipertensão, AVC, insuficiência cardíaca, etc.
As doenças cardíacas são doenças degenerativas crônicas, ou seja, as pessoas não percebem que o processo avança de maneira lenta e progressiva até chegar a complicações graves, inclusive a morte.
A detecção precoce e o tratamento adequado impedem tanto a incapacitação do coração como a morte do doente.
Cardiopatas devem fazer uma avaliação médica antes de iniciar sua atividade física, um eletrocardiograma em repouso e o teste ergométrico para analisar o funcionamento do coração em esforço, caso haja alterações não previstas deverá fazer o eco cardiograma que avaliará a estrutura e funcionamento do coração. O médico poderá pedir um hemograma principalmente para analisar o colesterol e triglicerídeos no sangue.
Após a liberação médica o cardiopata deve procurar um educador físico que irá elaborar um programa de treinamento de acordo com a sua necessidade, pois o professor de Ed. Física qualificado saberá dosar a intensidade e o volume dos exercícios.
Seguindo estes passos, as doenças cardíacas ou agravamento das mesmas diminuirá bastante.
Quando fazemos exercícios, a circulação sanguínea aumenta e com isto se houver alguma artéria danificada poderá se romper durante o esforço, daí a importância do volume e intensidade dos mesmos.
A atividade aeróbica de longa duração e menor intensidade abaixam a pressão em repouso, principalmente quando se perde peso.
Quando treinamos exigimos que o coração bombeie mais sangue para os músculos e mais artérias vão trabalhar sob tensão elevando a pressão sanguínea, por isto o monitoramento da carga deve ser bem controlado.
Indivíduos cardiopatas podem fazer treinos com pesos (musculação) desde que estes sejam feitos na forma de circuitos com cargas leves, muitas repetições, descanso mínimo e com a utilização no descanso ativo incluindo esteira ou ergométrica. Evita-se desta forma o aumento exagerado da pressão sanguínea. As cargas devem ser entorno de 60%, assim como a zona alvo de batimentos cardíacos por minuto.
Exercícios básicos elevam a pressão sanguínea mais do que exercícios isolados, pois grupos musculares em maior quantidade são solicitados, exigindo mais bombeamento de sangue do coração.
A respiração tem grande importância no controle da pressão arterial, exercícios em apneia (bloqueio da respiração) aumentam a pressão arterial e intracraniana elevando os riscos cardíaco e vascular cerebral.
Por isto o acompanhamento, a prescrição de exercícios ideais e o controle do batimento cardíaco ideal e da pressão sanguínea durante os exercícios físicos requer o acompanhamento do professor de Educação Física, que junto com uma educação alimentar orientada por um nutricionista e o acompanhamento médico do cardiologista permitirá ao cardiopata a prática de atividades físicas para a melhoria da qualidade e aumento da perspectiva de vida.

Bons treinos e cuide do seu coração.
Profº Julio Carvalhaes – Personal Trainer/Consultoria
Contato: juliocarvalhaes@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.